January 26, 2017

February 28, 2016

Please reload

Postagem recente

Eu fugi, mas o mundo acadêmico me pegou

January 25, 2017

1/2
Please reload

Postagem em destaque

Uma noite mais que especial com o ser humano Gregório Duvivier

June 6, 2016

 

Eu poderia simplesmente colocar que foi indescritível, que simplesmente já descrevia muito do que foi a noite desse sábado (4), ao lado do já novo amigo Gregório Duvivier. Mas como jornalista que sou, tenho que tentar descrever, apesar de ser difícil encontrar palavras para esse momento ou simplesmente série de grandes momentos em uma só noite.
 

Gregório é um dos poucos artistas que está no hall daqueles que coloco como ídolo. Considero que é muito importante para um artista apresentar posições políticas e sociais, porque uma pessoa pública deve entender que tem que um papel social importante e por isso pode usar a sua imagem para dar sua contribuição na transformação do mundo. Estudo inclusive no meu doutorado o papel da arte como ativismo político, tendo como objetivo de pesquisa mais específico o rap.


E o que vejo, mesmo em artistas que gosto do trabalho, é uma tentativa de se colocar em uma posição não tão firme na busca de agradar gregos e troianos. Duvivier apresenta clarissimamente uma posição diferenciada. Ele busca utilizar a sua arte como uma crítica em atualização constante, como ator, diretor, roteirista e etc. Além disso, apresenta abertamente a sua posição política firme e contundente em direção a esquerda, sendo visto até mesmo como radical.


A maioria dos artistas se movimenta só agora, depois de um retrocesso grande como o que vivemos, com o fim (agora temporário) do Ministério da Cultura e o golpe político com Michel Temer. Duvivier já alertava bem antes e uma grande prova disso foi o seu apoio aberto a campanha de Luciana Genro nas últimas eleições presidenciais em 2014. Além da sua coluna sempre crítica na Folha de São Paulo.


Já fiz um textão só para justificar porque admiro o trabalho e postura do cara, antes de imaginar qualquer contato pessoal. Mas isso foi simplesmente pouco para o ser humano fantástico que conheci ontem.


Vamos lá, se ainda tem alguém lendo. Vou contar a história. Logo depois da peça em Coimbra, ele fez questão de formar a fila na frente do teatro e receber todos que quisessem ter algum contato com ele no camarim. E ele recebia, conversava um pouco e tirava fotos, sem grande pressa.


Encarei essa fila e aproveitei o momento para de cara fazer dois convites. O primeiro foi para ir a festa da República da Praça, local onde faço as refeições todos os dias, sou comensal como se coloca nas repúblicas de Coimbra. O segundo foi convidar para que ele no futuro fizesse uma palestra na Universidade de Coimbra, direcionado sobretudo para os alunos brasileiros. Os dois convites ele aceitou de imediato. O engraçado é que eu ainda não tenho qualquer associação para organizar eventos e tampouco organizei nada. Foi bem inspirado em sua peça, que falava sobre um autor que ainda não tinha nenhuma peça, mas oferecia uma peça escrita por ele. Eu agora sou um organizador de eventos sem associação, mas que já tenho o primeiro palestrante: Gregório Duvivier.


Pois bem, já estava sem esperanças dele chegar a festa na república e já planejava ir embora, porque tinha uma viagem programada para o domingo. Mas ele chegou e pediu desculpas, por ter demorado. Em um primeiro momento expliquei para ele do que se tratava as repúblicas de Coimbra, que são parte do projeto que fez a Universidade de Coimbra ser considerada patrimônio mundial da Unesco, além de ter sido importantes politicamente para a cidade, desde a luta contra a ditadura. Tratam-se de casas que estão sempre de portas abertas para a comunidade, oferecendo o que há de melhor, sem cobrar por isso.


Nas repúblicas também procuram deixar as pessoas a vontade. E por isso não quis dar uma de paparazzi fazendo muitos registros fotográficos da noite, que não teve muitas imagens, mas certamente guardará grandes memórias. No começo, falamos mais de política e estudos, sugeri que ele fosse candidato pelo PSOL, mas ele afirmou que a institucionalização perde a liberdade. O entendo perfeitamente, pois é justamente o ponto principal para que eu ainda não seja filiado.


Mas depois o papo ficou mais descontraído. Comentei sobre alguns “causos” da minha vida e personagens vividos em Coimbra. O principal é o deputado federal Teixeira Lopes, nome fictício ao qual me apresentei ao pessoal da República da Praça e aí me fez entrar na família. Foi o pontapé para que utilizássemos o humor necessário para uma grande noite. O outro personagem foi o presidente da República Independente do Terceiro Andar, Carlos QuebraEscadas.


Como admirador do teatro, que inclusive prestei vestibular para artes cênicas, tive a honra de gravar algumas cenas com Gregório, que inclusive foram parar em seu Snapchat. Infelizmente não tenho Snap e por isso não entendo dos paranauê, mas certamente foi uma honra fazer esses vídeos.


Fizemos também alguns raps. Levo o rap muito a sério e por isso não faço muitas brincadeiras no freestyle, mas abri uma exceção, pois como se tratava de um humorista também fiz uns raps zuando o Gregório. E ele respondeu na brincadeira. Foi bem da hora!


Infelizmente gravamos só um, mas provavelmente o mais especial. Nem foi a melhor rima, mas foi a que mostrou ainda mais a humildade do cara. Logo depois de oferecer um vinho para ele, infelizmente derrubei, junto com uma moça cabo-verde o vinho na camisa dele e estragamos a sua roupa. Ele disse que continuaria assim na boa. Mas lembrei da camisa do Baraúnas que havia guardado para ir à praia no domingo e o presentei. Ele inicialmente não quis receber, para não me deixar sem uma camisa especial para mim, mas depois vestiu o manto e sentiu à vontade. E o rap que foi gravado foi justamente homenageando o Baraúnas. Por isso, mais que especial.


E já quase amanhecendo o dia e gravando cenas para o snap, sentamos para conversar e lanchar. O último assunto foi falar sobre Mossoró e contar que no dia estava acontecendo o maior evento do ano na cidade, o Pingo da Mei Dia. Daí, contei sobre a cidade e do que se tratava o evento. Ele ficou louco para conhecer, disse que já está com muita vontade de conhecer Mossoró e o Pingo da Mei Dia, e lógico que no meio da pista, no meio da galera. Em breve, então esperamos ter esse cara na nossa cidade.


O sentimento que ficou foi de total agradecimento a ele e toda a sua equipe que esteve presente na noite e certamente ele e todos os caras da equipe passaram a ser meus amigos.

Please reload

Siga-me

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Procurar por tags
Please reload

Arquivo
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square

© 2015 por  CARLOS GUERRA JÚNIOR Humildemente criado com Wix.com

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now