O binarismo elimina as outras formas de existir

A maior riqueza do Planeta Terra é a diversidade cultural, pois todas as culturas são incompletas e para se conseguir respostas mais completas sobre as principais questões da humanidade é preciso conhecer diferentes formas de existir.

Todavia, estamos acostumados a um pensamento binário, que elimina justamente essa complexidade da vida. Complexo no sentido literal da palavra. Um plexo é uma rede ou entrelaçamento e o termo “com” significa convergência. A vida, a política e a sociedade são complexas, isso é, corresponde a uma rede de ações agindo em conjunto. Por isso, é necessário perceber a complexidade, para não se ter visões superficiais, precipitadas ou preconceituosas.

A divisão binária que separa a sociedade em “cidadãos de bem” e “pessoas erradas” favorece a um modelo conservador em que o homem só está totalmente integrado na sociedade se for consumidor, contribuinte, plenamente incluído no sistema capitalista. Com isso, elimina-se grupos que lutam por modelos de resistência, assim como cria-se preconceitos contra pobres, gays e mulheres.

A divisão binária na política elimina as pessoas que não se identificam com a “centro direita” e a “centro esquerda”, que dominam as principais lutas de poder e elimina diferentes formas de se fazer política, que não atendidas por essa “disputa centrista”. Como consequência, o povo não recebe as informações das propostas que visam realmente modificar as estruturas sociais.

A divisão binária na ciência fez com que acreditássemos que apenas os Europeus eram “desenvolvidos” e capazes de produzir conhecimento científico. Dessa forma, foi eliminada uma gama de conhecimento produzido em outros locais não hegemônicos, os chamados “subdesenvolvidos”. Com isso, há uma busca para resgatar o que foi perdido em sociedades latinas, africanas ou asiáticas.

A divisão binária de gênero elimina novos modelos de família, que são uma realidade e precisam ter o mesmo direito dos modelos tradicionais. Como direito ao casamento e a adoção de filhos. Além disso, a heteronormatividade, que estabelece apenas “homens” e “mulheres” com plenos de direitos, só contribuiu para exclusão de pessoas que não se encaixam nesses perfis padrões.

Enfim, divisão binária estabeleceu o que é “certo” e “errado” e eliminou novas formas de vida, restringiu o pensamento humano, criou regras que não sustentam a complexidade do todo, excluiu a diferença, com isso, aumentou a intolerância, o racismo e o preconceito cultural.


Postagem em destaque
Postagem recente
Arquivo
Procurar por tags
Nenhum tag.
Siga-me
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square

© 2015 por  CARLOS GUERRA JÚNIOR Humildemente criado com Wix.com

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now